.31 de mar de 2017

[Especial/Resenha] A Cor que caiu do céu – H.P. Lovecraft

Título: A Cor que caiu do céu
Autor: H.P. Lovecraft
Editora: Iluminuras
Ano: 2003
N° de Páginas: 220


Sinopse:
Os elementos que constituem a rara arquitetura de H. P. Lovecraft estão presentes nos contos de ´A Cor que Caiu do Céu´. Acontecimentos aparentemente inverossímeis, mas sem dar lugar ao acaso, fazem o leitor transitar trilhas obscuras, onde o inominável faz sua aparição, pondo a perder toda e qualquer ilusão de segurança. Os contos encerram estranhas sensações, prendendo o leitor que, fascinado e devorado pelo pavor que se desprende destas páginas, luta com as personagens na corda bamba da sanidade. Seus mitos expressam a grandeza e o terror imemorial do universo, e ele conseguiu traduzir em linguagem e emoção as criações mais estranhas, mais aberrantes e simbólicas da imaginação ocidental.





“O local não é bom para a imaginação e não traz sonhos repousantes de noite.”

Nosso narrador encontra-se no oeste de Arkham para visita técnica do município para implantação de novos canais fluviais na localidade, porém o lugar parece assombrado não por fantasmas, mas pela imaginação dos moradores que restaram naquele local perturbador e demoníaco.

Nenhum dos nativos que aprofundar o assunto com o nosso narrador, porque evocar aquele “tema” é invoca uma entidade maligna e não pertencente ao nosso mundo. Por isso, ele decide falar com o morador mais antigo e “louco” de Arkham, Ammi que conhecia muito bem as lendas folclóricas que envolviam a “charneca crestrada”.

Ammi só conversa com nosso jovem contador de relatos, porque o mesmo diz querer saber o porquê dos visitantes, turistas e franco-americanos não ficarem naquela cidade. O velho conta que a cidade sofrera muito a chegada da “Cor” que desceu do céu e destruiu a vida da família de seu grande amigo Nahum.

Nahum era um homem religioso, simpático e caridoso com todos, porém algo muda quando o inverno chegou a cidade há 40 anos quando os Garden decidiram se isolar de forma melancólica e repentina de todos. Começaram então os falatórios sobre os possíveis motivos que levaram os Garden a se refugiarem em seu lar.

Ammi era a única pessoa que mantinha contato com os Garden quando coisas estranhas começaram a tomar conta da fazenda do amigo. Um pedaço de rocha fora encontrada no quintal de Nahum e parecia quente e diminuía de tamanho de forma assustadora. O mineral foi levado para ser analisado na universidade local, mas não durou três e despareceu. Nahum esquecera esse fato, mas a tormenta e a intranquilidade instalaram-se em sua casa quando a neurose tomou sua esposa e a ele próprio e estranhas mudanças no solo e animais de sua fazenda começaram a se tornar frequentes.

As árvores e o solo ficaram cinzentos, fétidos e imprestáveis. Depois ocorreram as mortes de animais, a contaminação da água do poço e o enlouquecimento da esposa de Nahum que foi trancada no sótão, porque não vivia mais como humana.

Coisas esdruxulas e inimagináveis demandaram a ocorrer constantemente naquela fazenda e a família Garden parecia amaldiçoada pela aquela rocha vinda do céu.

Será que era obra do demônio? Será que a rocha encontrada era mesmo de outro planeta? Por que somente a fazenda dos Garden foi afetada em Arkham? Você teria coragem de mora nesse lugar?

Lovecraft nos leva a uma narração detalhada e eletrizante, porque somos levados a levantar várias teorias que expliquem as mudanças estranhas na fazenda dos Garden e torcer para não ocorrer nenhum infortúnio para a família.

O conto é fala da linha tênue entre insanidade e sanidade. Demonstra que nem sempre a Ciência terá resposta para tudo que acontece diariamente com a Humanidade e resta apenas as nossas suposições teorizar a verdade.


16 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  2. Que conto interessante, acho que nossa vida inteira é uma linha tênue entre a sanidade e a insanidade! Adorei sua resenha e vou procurar o conto para ler, parabéns!

    MEMÓRIAS DE UMA LEITORA

    ResponderExcluir
  3. Olá
    Esse é meu conto preferido, acho que é porque foi o meu primeiro e me impactou me fazendo ficar fã do autor logo na primeira obra que li dele. Ele acabou pondo um elemento ecológico na trama, essa cor veio do espaço, mas poderia ter vindo de qualquer outro lugar, e sempre que eu tentava imaginar como seria essa cor me vinha na cabeça a cor de uma cor meio oleosa, e também tem a questão da água já que o rapaz foi para lá por causa do projeto de construir uma repesa. Eu amo esse conto.

    ResponderExcluir
  4. Oi! Faz tempo que não leio histórias de estilo terror e suspense, e tenho muitas saudades kk. A história parece ser assustadora e muito envolvente, também achei interessante que após essa rocha ter caído do céu, tudo se tornou um caos. Sua resenha está ótima e me deixou curiosa para desvendar esse mistério. Vou adicionar com certeza esse livro na minha lista, bjss!

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem?

    Sabe aqueles autores que estão sempre na sua lista de leitura, mas que por algum motivo sempre ficam para trás? Lovecraft... Achei tão interessante sua sinopse que vou tentar ler esse livro dele.

    bjsss

    ResponderExcluir
  6. Oiee Joanice ^^
    Eu ainda não conhecia esse livro, mas confesso que a premissa não me chamou muito a atenção, acho que não é bem um livro que eu leria. Pelo menos não por enquanto, um dia, quem sabe. Fico feliz em ver que você gostou (pelo menos eu entendi que sim)
    MilkMilks ♥

    ResponderExcluir
  7. Oie! Respondendo à sua pergunta: não, não moraria de jeito nenhum! Não sou ligada em histórias de terror e suspense. Porque sou muito impressionável e seria capaz de ficar dias sem dormir. Ainda mais quando é bem escrito. Que bom que você gostou e recomenda a leitura. Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Oiii!!

    Eu não conhecia essa obra, e confessi que não é meu estilo favorito, mas eu gostei da sua resenha! Bem escrita, com bastante detalhes e envolvente.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  9. Olá!

    A obra não faz meu estilo, mas confesso que quero ler algo do autor, pois é sempre elogiado, além de sua escrita ser atemporal. Adorei o texto, parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Olá, tudo bem?
    Esse conto é bem interessante, e fiquei curiosa para saber mais sobre o autor e suas obras, obrigada pela dica.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  11. Joanice eu sou perdidamente apaixonada por Lovecraft e agora você com essa postagem, é nem de pensar duas vezes com toda certeza quero realizar a leitura, além do mais a sua resenha ficou linda e incrível!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  12. Ola Joanice fiquei intrigada com esse conto, sua resenha me deixou bem curiosa, ainda não conhecia o conto, e já está indo para a lista de leitura, mesmo não sendo o gênero que costumo ler. beijos

    Joyce
    Livros Encantos

    ResponderExcluir
  13. Olá tudo bem?
    Achei a história bem interessante e adoro quando o autor narra de maneira detalhada e eletrizante, nos deixando presos a uma leitura fascinante e só se dar por satisfeito quando finalizar. Gosto muito de livros que prendem. Acho que vou procurar mais sobre ele.

    beijinhos!

    ResponderExcluir
  14. Caraca, gostei demais desse livro!
    O que será que aconteceu com essa família?
    Mesmo sem conhecer o autor ou qualquer outra obra sua, fiquei intrigada.
    Parabéns pela resenha, me instigou bastante!

    ResponderExcluir
  15. Oie!
    Ainda não tive a oportunidade de ler esse conto, mas achei bem interessante.
    Gostei do tema, e vou dar m jeito para conferir essa trama logo. Boa dica!
    Bjks!
    Histórias sem Fim

    ResponderExcluir
  16. oi
    não conhecia esse conto, achei interessante...diferente....não é bem o meu estilo, mas ainda assim, fiquei curiosa para ler...

    bjs

    ResponderExcluir

© Poesia que encanta a vida - 2016 | Todos os direitos reservados. | Tecnologia do Blogger